[RP Fechada] Ours is the Fury

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Mensagem por Kaleena Baratheon em Sab Jan 16, 2016 4:45 pm
Ours is the Fury
A RP se passa em Ponta Tempestade (Terras da Tempestade), durante o período da tarde. Esta é uma RP Fechada entre Kaleena Baratheon e Jamie Baratheon.


I CAN'T LOVE YOU MORE THAN MYSELF. WHAT DO YOU SEE IN THOSE YELLOW EYES?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Jamie Baratheon em Sab Jan 16, 2016 7:32 pm
Ours is the fury

Uma noite obscura de terror afrontara seu sonhos transformando-os em pesadelos macabros, aqueles do gênero que você espera que nunca tenha de novo, se não poderia ter um ataque e vir a falecer. O rapaz não parecia importar-se, medo não é uma coisa que o atormenta. Suas pálpebras ergueram pesadas e sonolentas, a visão turva de sono fora reparada após que seus glóbulos oculares foram coçados com as pontas dos dedos. Percorreu com o olhar o seu quarto e, então, inclinou metade superior de seu corpo, assim, senta sobre a cama e levanta.
É de manhã, horário o moreno não sabe, nem faz questão de saber. O sono e a preguiça ainda o possuíam como uma doença. Não viu o tempo passar, da normalidade lenta que é o normal passou para um salto no espaço-tempo. Tinha dormido e acordado à tarde (?). Sua fisionomia clara está devidamente recoberta por nobres roupas masculinas e colocou o pé para fora do quarto de onde dorme.
Seus passos sem rumo levaram a um lugar conhecido, o salão principal. Imóvel em certa área do local Jamie colocou-se, pensativo. Elevou a destra palma e puxou as mechas morenas para trás, e agora tinha visão completa. Seus límpidos claros olhos do rapaz circundou o perímetro até que fitou uma figura semelhante a ele: cabelos escuros, pele lúcida, olhos claros; reconhecia-a e aproximou-se da mesma. – No que pensa... – pausou, posicionou-se ao lado da morena e cruzou os braços. – Irmã? – prosseguiu.

Say a prayer but let the good times roll
Lexa & Maya


Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Kaleena Baratheon em Dom Jan 17, 2016 2:14 am

I see what's mine and take it
Os passos ritmados pareciam ecoar pelo corredor vazio. Eram firmes e consistentes, rendendo um contraste interessante para com a causadora daquele ato. A silhueta pequena, envolta em vestes escurecidas que evidenciavam a tez pálida, findou a caminhada quando parou diante da entrada do salão principal. A visão compenetrada vagueava pelo portal entalhado quando um sentinela surgira. A nobre desviou a atenção para o subordinado, questionando-se sobre qual razão dele estar ali. Uma expressão de transtorno presente no rosto da morena fora o suficiente para o início de uma série de lamentos vindo do maior. Kaleena riu internamente, ante o desespero do patrulha, todavia, não expressou tão divertimento.

Não obstante, apenas ergueu a mão direito, exigindo silêncio, o que fora feito quase que imediatamente pelo outro. As íris azuladas, quase acinzentadas, fixaram-se novamente na face provida pelo receio do subalterno, demorando-se em tal ação durante um pequeno intervalo de tempo. Em seguida, ela retomou os passos para dentro do salão, como o indivíduo existente, postando a sua frente, nunca tivesse existido. O pronunciamento final fora dado, externado em um timbre aveludado e altivo. Fora arremetido em duas palavras: ''Deixe-me sozinha''. O vassalo assentiu com o rosto e fechou os portões do salão, atendendo a ordem expressa.

▲▽

O silêncio, que outrora aquietava a linha de pensamentos na qual estava submersa, suspendeu-se quando um timbre invadiu-lhe os ouvidos. Franzindo o cenho, desviou o olhar em direção ao objeto de seu desassossego. Cabelos escurecidos, fronte pálida e íris tão ou mais azuis que os dela própria. Kaleena emitiu um sorriso de canto, inquirindo mentalmente sobre a presença do irmão fazia ali. Controlou-se em emitir um grunhido de pertubação enquanto ele começava com o que parecia ser uma sessão de perguntas.

— Estou a pensar em meu casamento. — Omitiu a verdadeira questão, refutando-o com uma tranquilidade assustadora. — A que devo a honra de sua visita, querido irmão? — Tornou a sorrir, exibindo-se com mais empenho. 
001 post
inders keepers, losers weepers



I CAN'T LOVE YOU MORE THAN MYSELF. WHAT DO YOU SEE IN THOSE YELLOW EYES?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Jamie Baratheon em Dom Jan 17, 2016 3:47 am
Ours is the fury

Um grupo de pássaro em formação “V” enquanto voam linearmente pelos os claros azuis fluorescentes céus em uma manhã de primavera buscando por um refúgio naquele desolado impuro mundo coberto por uma manta intocável e imperceptível de desejos maldosos e gananciosos. O inverno traz consigo nos gélidos cristalinos ares ao planeta uma página nova na história do livro da vida de cada ser que reside naquele circulo tridimensional, uma sensação de revolução pela a busca do que acha que deve ser melhorado. Guerra. Confronto por poder. Revirou os olhos ao lembrar-se do sonho que tive na noite passada: imaginara como seria a vida se somente ele existisse, como teria que agir vivendo sob desespero e solidão contaminando a atmosfera; cerrou as pálpebras e decidiu em esquecer-se do que não é importante e o que não traria nada de relevante ou importante a sua vida.  
A garota que compartilha a mesma linhagem sanguínea que Jamie, aparentemente, havia o notado enquanto sentira falta do cogitar causados pelos os ventos, esses que nunca atravessariam as muralhas de metros de espessura. Com seus membros superiores entrelaçados um ao outro com um cruze e tinha sua visão para frente, tenta entender o que acontecia, caso algo ocorresse. Emergiu de seus devaneios ao escutar o que passava na mente da garota. Casamento? A união de duas almas em sagrado matrimônio sob a regência de algo bem maior a visualizá-los. – Entendo o afundar em pensamentos, casamento não é nada simples. – pausou. Elevou a mão direita até o queixo, levemente coçou a barba do local e deixou a palma ali de forma pensativa. – Com quem se casará mesmo? – questionou e levou seus olhos até a jovem em uma mirada de canto. Desformou os braços cruzados e relaxou a musculatura dos membros em questão. – Ora, vim ver como anda a minha querida e pequena irmã. – tinha virado para a morena antes de proferir as palavras que vinham acompanhadas por um fraco sorriso.


Say a prayer but let the good times roll
Lexa & Maya


Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum